Aparências

Uma senhora distinta e elegante, saiu do consultório médico e ia direto para casa quando se lembrou do pedido da filha, comprar fraldas descartáveis para o netinho na  “Americanas”. Bem ao lado tinha uma e foi para lá mesmo que ela se encaminhou.

A loja habitualmente cheia, naquele dia recebia ainda mais gente de olho em uma liquidação de televisão ou coisa parecida. Disposta a se livrar daquela insana aglomeração, foi até o setor de crianças, pegou os pacotes de fraldas e se dirigiu até os caixas.

Para sua preocupação, tinha fila… Umas doze pessoas, felizmente a maioria com suas máscaras no lugar certo e infelizmente coladas umas às outras, ignorando completamente todas as recomendações de prevenção. E agora, encarar ou largar as fraldas e ir embora?

Tinha fila de idoso!

Nossa, nunca a visão do caixa preferencial fora tão acolhedora. Apenas um senhorzinho estava sendo atendido, imaginem só! Nem pestanejou, saiu lá do final da fila da galera e se postou atrás do decano que pagava sua conta. Nem teve tempo de suspirar de alívio, um camarada da fila grande berrou com toda a falta de educação possível

“Ô minha tia, a senhora não sabe ler não?”

É claro que sabia, mas custou para entender o motivo da bronca. Seria a fila… Respondeu:

“Qual é o problema?”

“Esse caixa é só para os velhos, você está furando a fila na cara de pau!”

“Meu filho, você vem sempre aqui? Porque se for para ouvir elogios, passo a comprar aqui sempre, agora me senti jovem.  Garoto, olha a minha identidade, eu tenho 75 anos!”

Toda a fila em risos, se virou para o rapaz.

“Foi mal, dona… E incomodado com as própria mancada foi embora, completamente sem graça.

Moral da história? As aparências enganam, ainda mais em tempos de máscaras.